Blog

Josef Mengele – O Anjo da Morte Nazista

O centro médico do Dr. Josef Mengele em Auschwitz foi talvez o lugar mais horripilante que o Holocausto produziu.
Quem era esse homem por trás de tudo, e o que fez dele o notório “Anjo da Morte”?

Josef Mengele
O anjo da morte em pessoa

A Juventude Privalegiada de Josef Mengele

Josef Mengele não tem uma história terrível na qual alguém possa apontar um dedo ao tentar explicar seus atos. De fato, ele era um garoto popular, cujo pai administrava um negócio de sucesso na Alemanha.

Todos na escola pareciam gostar dele e ele conseguiu excelentes notas. Após sua formatura, parecia natural que iria para a universidade e teria sucesso em algo que ele colocasse sua mente.

O anjo da morte obteve seu primeiro doutorado em antropologia pela Universidade de Munique em 1935. Posteriormente, fez seu pós-doutorado em Frankfurt sob a orientação do doutor Otmar Freiherr von Verschuer (um eugenista totalmente doutrinado nazista).

A ideologia nazista sustentava que indivíduos eram produto de sua hereditariedade e o trabalho de Verschuer parecia legitimar essa afirmação. Mengele era um assistente entusiasta, deixando o laboratório em 1938 com uma recomendação brilhante e um segundo doutorado em medicina. Para seu tópico de dissertação, Mengele escreveu sobre influências raciais na formação da mandíbula inferior.

Josef Mengele, o anjo da morte
O doutor Otmar Freiherr von, orientador de Josef

Serviço Militar

O anjo da morte ingressou no Partido Nazista em 1937, aos 26 anos, enquanto trabalhava com seu mentor em Frankfurt.

Em 1938, ele se juntou à SS e a uma unidade de reserva da Wehrmacht. Sua unidade foi convocada em 1940 e ele serviu voluntariamente para o serviço médico da Waffen-SS. Eventualmente, Mengele praticou a eugenia na Polônia, avaliando cidadãos baseado-se pela “raça no Reich“.

Em 1941, sua unidade foi implantada na Ucrânia em um papel de combate. Josef Mengele distinguiu-se novamente pela bravura que beirava o heroísmo. Por isso, ele foi condecorado diversas vezes. Uma vez por arrastar homens feridos de um tanque em chamas e outras pela sua dedicação ao serviço prestado.

Josef Mengele
O anjo da morte em sua juventude

Em janeiro de 1943, uma parte do exército alemão se rendeu em Stalingrado, onde Mengele foi gravemente ferido. Assim sendo, ele foi enviado de volta para a Alemanha e recebendo uma promoção a capitão. Em maio de 1943, Mengele reportou para o campo de concentração de Auschwitz.

Josef Mengele em Auschwitz

Mengele chegou a Auschwitz durante um período de transição. O acampamento há muito tempo era palco de trabalho forçado e de prisioneiros de guerra. No entanto, com a chegada do inverno de 1943, fez do local sua máquina de matar. Não só com as revoltas nos campos de Treblinka e Sobibor, mas também com o aumento do ritmo do programa de matança em todo o leste, Auschwitz estava prestes a entrar para a história e Mengele estaria envolvido em todo o processo.

Relatos de sobreviventes descrevem Mengele como um entusiasta da equipe, se oferecendo para tarefas extras e parecendo estar em quase toda parte ao mesmo tempo. O anjo da morte estava absolutamente em seu paraíso em Auschwitz; seu uniforme estava sempre apertado e arrumado, e ele sempre parecia ter um leve sorriso no rosto.

Cada médico do campo era obrigado a dividir nos embarques os presos que iriam trabalhar e os que iriam ser imediatamente mortos nas câmaras de gás. Muitos deles achavam o trabalho deprimente. Todavia, Josef Mengele adorava e estava sempre disposto a tomar os turnos de outros médicos na rampa de chegada.

O diabo em pessoa
O diabo em pessoa

Trabalhos

No curso de seu trabalho, ele administrou uma enfermaria onde os doentes foram executados. Logo após, auxiliou outros médicos em seu trabalho e conduziu sua própria pesquisa entre os milhares de detentos que pessoalmente selecionou para os experimentos terríveis. Os experimentos que ele inventou eram macabros. Motivado e energizado pela aparente sem fim quantidade de seres humanos condenados à sua disposição, Mengele continuou o trabalho que ele havia iniciado em Frankfurt estudando a influência da hereditariedade em vários traços físicos.

O médico macabro reuniu centenas de pares de gêmeos e às vezes passava horas medindo várias partes de seus corpos e fazendo anotações cuidadosas. Muitas vezes ele injetou um gêmeo com substâncias misteriosas e monitorou a doença que se seguiu. Ele aplicou braçadeiras dolorosas nas crianças para então induzir a gangrena e injetou corante em seus olhos.

Quando a criança do teste morria, o gêmeo seria imediatamente morto com uma injeção de clorofórmio no coração e ambos seriam dissecados para comparação. Em uma ocasião, o temido anjo da morte matou 14 pares de gêmeos dessa maneira e passou uma noite sem dormir fazendo autópsias em suas vítimas.

Corpos de vítimas
Corpos de vítimas

Temperamento Instável

Para todos os seus hábitos de trabalho metódicos, Mengele era impulsivo. Durante uma seleção, uma mulher que foi selecionada para trabalhar, se recusou a ser separada de sua filha que tinha sido condenada à morte. Um guarda que tentou separá-los teve um arranhão desagradável no rosto e teve que recuar. Mengele interveio, atirou na menina e na mãe e depois mandou a todos os presentes para a câmara de gás.

Em outra ocasião, os médicos do sub-campo de Birkenau discutiram se um menino de quem todos gostavam tinha tuberculose. Mengele saiu do quarto e voltou uma hora ou duas depois, desculpando-se pelo argumento e admitindo que estivera errado. Durante sua ausência, ele atirou no menino e o dissecou em busca de sinais da doença.

Em 1944, o entusiasmo de Mengele pelo seu trabalho lhe renderam uma posição de gerência no acampamento. Nesta capacidade, ele foi responsável por medidas de saúde pública no campo, além de sua própria pesquisa em Birkenau. Mais uma vez, sua veia impulsiva surgiu quando ele tomou decisões para as dezenas de milhares de presos.

josef mengele com experiências
Alguma das experiências realizadas

O Trabalho Continua

Apesar de tudo isso relatado anteriormente, a pesquisa de Mengele continuou. No esforço de provar as teorias racistas nazistas, Mengele costurou pares de gêmeos e arrancou os olhos de pessoas com íris de cores diferentes.

Quando uma epidemia se alastrou no campo dos ciganos, o foco absurdo de Mengele na raça levou-o a investigar as causas genéticas que ele tinha certeza que estavam por trás da epidemia. Para estudar isso, ele arrancou as cabeças dos prisioneiros infectados e enviou as amostras preservadas para estudo.

Depois que prisioneiros húngaros foram quase todos mortos durante o verão de 1944, os transportes de novos prisioneiros diminuíram e acabaram parando. As operações no acampamento foram reduzidas durante o outono e o inverno.

Em janeiro de 1945, o complexo de acampamento em Auschwitz foi desorganizado pelo avanõ soviético na região. Os prisioneiros famintos marcharam para Dresden (que estava prestes a ser bombardeada impiedosamente pelos Aliados). Eventualmente, Mengele guardou suas notas de pesquisa e seguiu para o oeste para evitar a captura pelo Exército Vermelho.

Josef Mengele e seus experimentos
Josef Mengele e seus experimentos

Evasão da Justiça

Mengele conseguiu evitar os aliados vitoriosos até junho, quando foi capturado por uma patrulha americana.

Ele estava viajando com o seu próprio nome na época, mas a lista de criminosos procurados não tinha sido distribuída com eficiência e os americanos o deixaram ir. Mengele passou algum tempo trabalhando como agricultor antes de decidir sair do país em 1949.

Usando uma variedade de apelidos e às vezes seu próprio nome, ele conseguiu evitar a captura por décadas. Em 1950, ele realizou uma prática médica sem licença em Buenos Aires, onde se especializou na realização de abortos ilegais. Isto o levou a ser preso quando um de seus pacientes morreu, mas de acordo com uma testemunha, um amigo dele apareceu no tribunal com um envelope cheio de dinheiro para o juiz, que posteriormente rejeitou o caso.

Em 1956, o governo da Alemanha Ocidental emitiu documentos de identidade para Mengele em seu próprio nome. Além disso, permitiu que sua família deixasse o país sem ser perseguida para visitá-lo na América do Sul.

Em 1959, Mengele viajou ao Paraguai para tratar do ex-secretário do Führer, Martin Bormann, condenado à morte em Nuremberg e que agora estava morrendo de câncer de estômago.

Fuga e Josef Mengele no Brasil

Apesar de ter fornecido a Mengele documentos legais em seu verdadeiro, a Alemanha Ocidental ofereceu uma recompensa por sua captura. O antigo piloto Hans-Ulrich Rudel ajudou Mengele a atravessar a fronteira para o Brasil. Chegando por aqui, encontrou acomodações com os expatriados húngaros Geza e Gitta Stammer.

Ajudado por um investimento de Mengele, o casal comprou uma fazenda na Nova Europa. Em 1962, os três compraram uma fazenda de café em Serra Negra, sendo que Mengele possuía metade do local.  Eventualmente, o casal acabou descobrindo a sua verdadeira identidade, mas ele os convenceu a não denunciarem sua localização às autoridades, dizendo que eles próprios poderiam ter problemas por abriga-lo. 

De Serra Negra, o Anjo da Morte mudou-se para Caieiras, Diadema, Embu, Campos de Jordão e São Paulo.

Morte

Finalmente, um dia em 1979, o anjo da morte, de 68 anos, saiu para nadar no Oceano Atlântico. Ele sofreu um mal-súbito na água e se afogou.

Após sua morte, amigos e familiares gradualmente admitiram que souberam o tempo todo onde ele estava se escondendo, e que eles o abrigaram da justiça a vida toda.

josef mengele idoso
Josef Mengele já idoso e provavelmente no Brasil

Em 6 de junho de 1985, a polícia brasileira desenterrou o túmulo de um homem chamado Wolfgang Gerhard.

Evidências forenses e posteriores genéticas provaram conclusivamente que os restos mortais realmente pertenciam ao anjo da morte nazista, que aparentemente morrera em um acidente enquanto nadava.

Em março de 2016, um tribunal brasileiro concedeu o controle sobre os restos mortais exumados de Mengele para a Universidade de São Paulo. De acordo com uma declaração do médico no caso, os restos mortais serão usados por médicos estudantes para pesquisa médica.

Chega a ser difícil comparar qualquer pessoa com as crueldades cometidas pelo médico nazista. Entretanto, um homem ficou famoso nos Estados Unidos por cometar o primeiro massacre da história do país.

Fontes:

All That’s Interesting

Wikipédia

Diário de Notícias

Sobre Matheus Henrique

Técnico em consertos e manutenção de máquinas do tempo, caçador de criaturas mitológicas, cover de Sherlock Holmes e falador de bobagens nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X