Blog

Roopkund – O Lago dos Esqueletos

Em 1942, um guarda florestal britânico em Roopkund, na Índia, fez uma descoberta alarmante: Havia um lago congelado cheio de esqueletos a cerca de 4800 metros acima do nível do mar, no fundo de um pequeno vale.

Naquele verão, após um derretimento do gelo, muito mais restos de esqueletos foram encontrados, flutuando na água e abandonados ao acaso ao redor das margens do lago.

Lago dos esqueletos
Imagem do local do lago

Teorias sobre o Lago

A suposição imediata (sendo tempo de guerra) era que os restos achados eram de soldados japoneses que morreram enquanto se esgueiravam pela Índia.

Eventualmente, o governo britânico, aterrorizado com uma invasão japonesa, enviou uma equipe de investigadores para determinar se aquilo era verdade. No entanto, após o exame, perceberam que esses ossos não eram de soldados japoneses, pois não eram “recentes” o suficiente.

Era evidente que os ossos eram realmente antigos. A carne, o cabelo e os próprios ossos tinham sido preservados pelo ar seco e frio. Diante disso, ninguém conseguia determinar com exatidão de quando eram os corpos. Mais do que isso, cientistas e historiadores não tinham ideia do que matou mais de 200 pessoas neste pequeno vale.

Muitas teorias foram apresentadas, incluindo uma epidemia, um deslizamento de terra ou até mesmo um ritual de suicídio em massa. Durante décadas, ninguém foi capaz de desvendar algo sobre o mistério do Lago dos Esqueletos.

O lago na Índia
Foto do lago na Índia

Em Busca de uma Solução

No entanto, uma expedição de 2004 parece ter finalmente revelado o mistério do que causou a morte dessas pessoas. A explicação era mais estranha do que alguém imaginara:

Após constatado que, todos os corpos tinham mais de 1000 anos, evidências de DNA indicam que havia dois grupos distintos de pessoas. Um deles seria uma família ou tribo de indivíduos e o segundo grupo menor de moradores locais, provavelmente contratados como guias.

Anéis, lanças, sapatos de couro foram encontrados, levando especialistas a acreditar que o grupo era composto de peregrinos que se dirigiam ao vale com a ajuda dos habitantes locais.

Todos os corpos morreram de maneira semelhante, com golpes na cabeça. No entanto, as pequenas fissuras profundas nos crânios pareciam ser o resultado não de armas, mas sim de algo arredondado. Os corpos também só tinham feridas na cabeça e ombros, como se os golpes tivessem vindo diretamente de cima.

Porém, o mistério atual é: O que ou quem os matou?

Cena do local do lago
Cena com um dos esqueletos

Enfim a Verdade

Entre as mulheres do Himalaia existe uma canção folclórica antiga e tradicional com letras que descrevem uma deusa tão enfurecida com os forasteiros que contaminaram seu santuário nas montanhas, que fez chover sobre eles pedras gigantes de granizo, “duras como ferro”.

Por mais estranho que pareça, a canção toma traços reais quando, depois de muita pesquisa, a expedição de 2004 chega à esta mesma conclusão. Todas as 200 pessoas morreram de uma súbita e grave tempestade de granizo.

Presos no vale sem nenhum lugar para se esconder ou procurar abrigo, as pedras de granizo “duras como ferro” do tamanho de uma bola de críquete (cerca de 23 centímetros de circunferência) chegaram aos milhares, resultando na bizarra morte súbita dos viajantes.

Os restos ficaram no lago por 1200 anos até sua descoberta. Incrível não?

Lago com turistas
O lago é visitando por diversas pessoas todos os anos

Se você achou interessante, saiba que é possível visitar o local. Porém, não há estradas para chegar lá. É necessário assim realizar uma caminhada de 3 a 4 dias, partindo de Gwaldum, no distrito de Chamoli. O lago é coberto com gelo durante a maior parte do tempo durante o ano.

O lago Roopkund já causa medo por si só, mas essa ilha aqui no Brasil, não recomendamos ninguém a ir.

Fontes:

Atlas obscura

Unbelievable Info

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X