Blog

Tardígrado – O Animal Indestrutível

Quanto maior o ser, mais forte ele seria certo? Bom, não é o caso aqui com o Tardígrado.

Embora estranhamente fofo, esse minúsculo animal é praticamente indestrutível e pode até mesmo sobreviver no espaço sideral.

Até que ponto o tardígrado pode chegar? Existe algum meio de o destruir?
Confira agora no artigo!

O poderoso Tardígrado
O poderoso Tardígrado

Aparência e Habitat

O Tardígrado, frequentemente chamados de urso-d’água, é um animal quase microscópico, com corpo longo e rechonchudo e cabeça enrugada. Eles têm oito pernas e mãos com quatro a oito garras em cada uma. Podem variar de 0,05 a 1,2 milímetros de comprimento.

Eles não possuem órgãos de circulação ou respiração. A cavidade do corpo do tardígrado (hemocoel) é preenchida com fluido que transporta sangue e oxigênio, (que se difunde através do do animal e é armazenado nas células dentro do hemocoel).

O seu canal alimentar atravessa o corpo de ponta a ponta.

corpo de um tardígrado
Bem diferente não é mesmo?

Os ursos-d’água podem viver praticamente em qualquer lugar. Eles preferem viver em sedimentos no fundo de um lago, em pedaços de musgo ou outros ambientes úmidos.

Super Poder de Sobrevivência

O que você está prester a ler, pode parecer mentira, mas inacreditávelmente, o Tardígrado consegue sobreviver em ambientes que seriam praticamente impossíveis para qualquer outro ser vivo do planeta.

Para começar, eles podem sobreviver a uma ampla gama de temperaturas.

Pesquisas descobriram que os Tardígrados podem suportar ambientes tão frios (200 graus negativos) quanto quentes acima de 300 graus.

Tardígrado em seu habitat
Tardígrado microscópico em seu habitat

Além dessas temperaturas extremas, eles também podem sobreviver a radiação, quantidades massivas de pressão (até seis vezes a pressão da parte mais profunda do oceano) e como já dito no artigo, até o vácuo do espaço.

Um estudo de 2008 publicado na revista Current Biology descobriu que algumas espécies de Tardígrado poderiam sobreviver 10 dias na órbita da Terra enquanto expostas a um vácuo espacial e radiação.

Tardígrado no espaço
Nem mesmo o espaço pode pará-los

O Tardígrado não Para!

Na verdade, os ursos-d’água podem sobreviver mesmo depois que a humanidade se extinguir, descobriram os pesquisadores que publicaram um estudo na edição de 14 de julho de 2017 na revista Scientific Reports.

Cientistas analisaram as probabilidades de certos eventos astronômicos como asteróides que atacarão a Terra, explosões de supernovas e explosões de raios gama que ocorrerão nos próximos bilhões de anos, destruirão as espécies mais resistentes da Terra. Entretanto, nem mesmo toda essa devastação conseguiria eliminar os Tardígrados.

Para surpresa dos pesquisadores, embora as supernovas próximas ou os grandes impactos de asteróides sejam catastróficos para as pessoas, os Tardígrados não poderiam ser afetados.

Portanto, parece que a vida, uma vez que se vá, é difícil de eliminar completamente. Um grande número de espécies, ou mesmo gêneros inteiros, podem se tornar extintos, mas a vida como um todo continuará (pelo menos para os tardígrados).

O animal indestrutível
Como pode ser indestrutível?

Como o Tardígrado consegue ser tão resistente?

Os Tardígrados foram descobertos pelo zoologista alemão, Johann August Ephraim Goeze, em 1773. Em 1776, o biólogo italiano Lazzaro Spallanzani descobriu que os ursos-d’água sobrevivem a condições extremas, fazendo uma transformação.

Em muitas condições, eles sobrevivem entrando em um estado quase semelhante à morte chamado criptobiose. Eles se enrolam em uma bola desidratada, chamada “tun”, retraindo a cabeça e as pernas.

Reintroduzido-os na água, os Tardígrados podem voltar à vida em apenas algumas horas.

Tardígrado em criptobiose
Tardígrado em seu estado de criptobiose

Mais Defesas

Enquanto na criptobiose, a atividade metabólica dos Tardígrados chega a 0,01% dos níveis normais, seus órgãos são protegidos por um gel açucarado chamado trealose. Neste estado, eles poderiam viver por séculos.

Eles também parecem produzir uma grande quantidade de antioxidantes, o que pode ser outra maneira de proteger seus órgãos vitais.

Os ursos-d’água também produzem uma proteína que protege seu DNA de danos causados ​​por radiação, de acordo com pesquisa da Universidade de Tóquio.

Em temperaturas frias, eles se formam em um tun especial que impede o crescimento de cristais de gelo. Além disso, possuem outra defesa para quando estão na água. No momento de baixo teor de oxigênio, os Tardígrados se esticam e permitem a redução de sua taxa metabólica. Nesse estado, seus músculos absorvem oxigênio e água o suficiente para que possam sobreviver.

animal de boa
Aparentemente, nada pode destruí-lo

Em 2016, cientistas reviveram dois tuns e um ovo que estava em criptobiose há mais de 30 anos, voltando normalmente a vida, como se nada tivesse acontecido. O experimento foi relatado na revista Cryobiology.

A Grande Verdade

Sim, ele realmente é muito forte, mas cientistas teriam descoberto enfim a sua vulnerabilidade.

Segundo a pesquisa realizada pela Scientific Reports, altas temperaturas por um período prolongado de tempo, pode ser ponto fraco deste grande ser (a pesquisa foi feita com os tardigrados não estando em sua proteção).

O que o Tardígrado come?

Com todos esses poderes, afinal, do que eles se alimentam?

Os tardígrados comem fluidos para sobreviver. Eles sugam os sucos de algas, líquens e musgos. Algumas espécies são carnívoros e até canibais. Estes podem até mesmo atacar outros tardígrados.

Reprodução

Os Tardígrados se reproduzem através de reprodução sexual e assexuada, dependendo da espécie. Eles colocam de um a 30 ovos de cada vez.

Durante a reprodução sexual, a fêmea deposita os ovos e os machos os fertilizam. Já na reprodução assexuada, a fêmea deposita os ovos e depois os desenvolvem sem fertilização.

A fêmea do tardígrado com ovos
A fêmea do tardígrado com ovos

Quero um Tardígrado, e agora?

Bom, se nem passou pela sua cabeça como ter um tardrígado, saibe que é possível achá-lo mais fácilmente.

A Faculdade Carleton, nos Estados Unidos, inclusive, fez um guia de como encontrar a criatura. Confira algumas das dicas:

1 – Colete um montinho de musgo ou líquen (seco ou úmido) e o coloque em um prato raso. 

2 – Deixe ensopado de água (de preferência água da chuva ou água destilada) por até 24 horas. 

3 – Remova e então descarte o restante da água.

4 – Chacoalhe ou esprema os montinhos de musgo/líquen em outro prato para coletar a água que ficou acumulada.

5 – Examine essa água em um microscópio. 

Ainda não acredita na existência do tardígrado?

Veja esses videos e mude de opinião!

Resistência em alta definição
Vendo assim de perto, fica mais estranho ainda

O tardígrado sem dúvida é um animal que ganha em resistência, mas o peixe bolha ganha em feiura.

Fontes:

Revista Galileu

Britannica

Live Science

Popular Mechanics

BBC

Sobre Matheus Henrique

Técnico em consertos e manutenção de máquinas do tempo, caçador de criaturas mitológicas, cover de Sherlock Holmes e falador de bobagens nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X