Blog

caveira de batalhas

Top 15 Batalhas Mais Mortais da História da Humanidade

Desde que a humanidade começou a viver em sociedades, já haviam batalhas pelos mais diversos motivos. Milhões de vidas foram perdidas nesses horríveis confrontos.

Mas entre elas, quais foram as batalhas que mais pessoas morreram? Confira agora aqui nesse artigo.

Soldados indo para as batalhas
Guerra é Guerra

Para esclarecer, foram somados os números de soldados e civis mortos nessas referentes batalhas. Além disso, esses números não são 100% precisos, podendo variar para mais ou para menos.

15 – Revolta de Varsóvia, 1944 (mais de 200 mil mortes)

Revolta de Varsóvia
Revolta de Varsóvia

Um pequeno spoiler antes de começarmos. A grande maioria das batalhas dessa lista, aconteceram na Segunda Guerra Mundial, e a Revolta de Varsóvia é uma delas.

A Revolta de Varsóvia foi uma grande operação da Segunda Guerra Mundial, na qual a resistência subterrânea polonesa, liderada pelo Exército Nacional, lutaram para libertar Varsóvia da ocupação alemã.

Os ataques foram programados para coincidir com a retirada das forças alemãs da Polônia devido ao avanço soviético na Região. Entretanto, ao se aproximar dos subúrbios orientais da cidade, o Exército Vermelho interrompeu temporariamente as operações de combate, permitindo que os alemães se reagrupassem e derrotassem a resistência polonesa e arrasassem a cidade em represália.

A Revolta foi travada por 63 dias com pouco apoio externo. No fim, mais de 200 mil pessoas morreram e 700 mil tiveram que abandonar a agora destruída e arrasada Varsóvia.

14 – Cerco de Sevastopol, 1941-42 (236 mil mortes)

Batalhas em Sevastopol
Cerco de Sevastopol

Indo um pouco mais a leste no Front Oriental da Segunda Guerra, chegamos na península da Crimeia, mais precisamente na cidade portuária de Sevastopol.

Aqui, a campanha foi travada pelas potências do Eixo da Alemanha e Romênia contra a União Soviética. As forças terrestres do Eixo chegaram à Crimeia no outono de 1941 e invadiram a maior parte da área. O único objetivo que não estava nos planos era Sevastopol.

Várias tentativas foram feitas para proteger a cidade em outubro e novembro de 1941. Um grande ataque foi planejado para o final de novembro, mas fortes chuvas o atrasaram até 17 de dezembro. Sob o comando de Erich von Manstein, as forças do Eixo não conseguiram capturar Sevastopol durante esse período.

Assim sendo, as forças soviéticas lançaram um desembarque anfíbio na península em dezembro de 1941 para aliviar o cerco e forçar o Eixo a desviar forças para defender seus ganhos. A operação então salvou Sevastopol por um momento…

Erich von Manstein
O general Erich von Manstein

No final de junho de 1942, a Wehrmacht (exército alemão) lançou um ataque pesado, apoiado por bombardeios pesados da Luftwaffe (força aérea alemã).

Lutas ocorreram pelos próximos três dias, mas estava ficando claro que o Exército Vermelho não poderia manter suas posições cada vez mais insustentáveis por mais de um dia, no máximo.

Em 3 de julho, a última linha de defesa soviética foi violada. No dia seguinte, eventualmente a última das defesas foi invadida e toda a resistência organizada entrou em colapso, levando a vitória do Eixo e cerca de 236 mil mortes no total.

13 – Salsu, 612 (mais de 300 mil mortes)

Batalha em Salsu
Batalha de Salsu

A segunda batalha mais antiga dessa lista foi a Batalha de Salsu, ocorrida no ano de 612 na atual Coréia.

Salsu é considerada como uma das mais destrutivas e surpreendentes batalhas da história militar. A política expansionista e dominante da China (comandada pela dinastia Sui na época), visava destruir uma potência coreana, Goguryeo, que era aceita como uma ameaça potencial em suas fronteiras do norte.

A China então tentou suprimir as rebeliões domésticas com novas vitórias e continuou a expandir seus territórios em direção ao norte por guerras sustentáveis. Ao mesmo tempo, a China estava do lado vantajoso por causa dos problemas entre os reinos coreanos que estavam lutando entre si.

Mas o imperador chinês não estava ciente de uma tragédia iminente enquanto preparava um exército que incluía um milhão de soldados…

Mapa das batalhas de Salsu
Mapa da China e Coréia na época

O Fim Surpreendente

Incapaz de superar a robusta defesa de Goguryeo, o imperador decidiu posteriormente enviar 300 mil soldados para Pyongyang, capital de Goguryeo.

O general de Goguryeo, Eulji Mundeok, se defendeu contra as forças Sui por meses, causando danos enquanto fingia recuar profundamente em seu território, onde estava na verdade preparado um ataque no rio Salsu.

Eulji Mundeok genialmente cortou o fluxo de água com uma represa com antecedência e, quando as tropas Sui chegaram ao rio, o nível da água era raso. Quando chegaram ao outro lado, o general mandou abriu a represa, fazendo com que uma imensa quantidade de água afogasse milhares de soldados inimigos.
A cavalaria Goguryeo então atacou as forças Sui restantes, causando enormes baixas.

As tropas Sui sobreviventes foram forçadas a recuar rapidamente na Península de Liaodong para evitar serem mortas ou capturadas. Muitos soldados em retirada morreram de doenças ou fome, pois seu exército havia esgotado seus suprimentos de comida.

Por fim, mais de 300 mil soldados chineses da dinastia Sui morrem, somados a poucos soldados de Goguryeo.

12 – Shanghai, 1937 (400 mil mortes)

Soldados em Shanghai
Batalha de Shanghai

Considerada a Stalingrado da China (você vai entender o porque mais a frente no artigo), a batalha de Shanghai foi um verdadeiro massacre.

Um milhão de soldados chineses e japoneses se envolveram em um selvagem combate urbano na cidade costeira da China.

Conhecida como “Pérola do Oriente”, a cidade de Shanghai vinha sendo uma metrópole próspera, movimentada com comerciantes e missionários ocidentais, gangsteres chineses, trabalhadores, camponeses, soldados e empresários japoneses.

A Batalha na cidade foi a primeira dos vinte e dois grandes combates travados entre o Exército Revolucionário Nacional (NRA) da República da China (ROC) e o Exército Imperial Japonês (IJA) do Império do Japão no início da Segundo Guerra sino-japonesa.

Desde a invasão japonesa da Manchúria em 1931, seguida pelo ataque japonês de Shanghai em 1932, houve diversos conflitos armados entre a China e o Japão sem uma declaração oficial de guerra. Esses conflitos finalmente aumentaram em julho de 1937, quando o incidente da Ponte Marco Polo, que desencadeou uma invasão total do Japão na China.

Incidente na ponte marco polo
Soldados japoneses na ponte Marco Polo

A batalha pode ser dividida em três etapas e, eventualmente, envolveu quase um milhão de tropas. Após 3 meses, por volta de 400 mil pessoas morreram e a cidade foi capturada pelos japoneses.

11 – Cerco de Budapeste, 1944-45 (422 mil mortes)

Aviões em Budapeste
Cerco de Budapeste

A cidade de Budapeste não estava adequadamente armada ou provisionada para ser uma cidade de linha de frente durante a Segunda Guerra Mundial, e a maioria dos húngaros (mesmo os poucos líderes que apoiavam ativamente o Terceiro Reich) nunca esperava enfrentar soldados russos em seus próprios quintais.

No entanto, como o Exército Vermelho avançou rapidamente pelo leste da Hungria no início de dezembro de 1944, e Hitler declarou Budapeste como uma fortaleza que deveria ser defendida até a morte do último homem de pé, os húngaros subitamente ficaram presos entre um “aliado” fanaticamente desesperado que proibia qualquer evacuação e o poderio esmagador da União Soviética.

O cerco de Budapeste estava completo em 26 de dezembro, mas a batalha de casa em casa continuou até meados de fevereiro, altura em que cerca de 400 mil pessoas estavam mortas de ambos os lados.

A cidade se rendeu incondicionalmente em 13 de fevereiro de 1945. A batalha foi uma vitória estratégica para os Aliados em seu esforço em direção a Berlim.

10 – Cerco de Changchun, 1948 (425 mil mortes)

Cerco de Changchun
Cerco de Changchun

A China de novo aparece nessa lista, mas agora os seus inimigos são eles mesmos. O Cerco de Changchun foi uma das campanhas mais longas da Campanha Liaoshen na Guerra Civil Chinesa.

Durante a ofensiva de inverno de 1947, o comandante comunista do nordeste, Lin Biao, recebeu três opções para atacar primeiro pelas ofensivas gerais contra as forças nacionalistas na Manchuria. As três opções foram Changchun, Shenyang ou Jinzhou.

Após discutir com outros oficiais, Changchun foi escolhida como o primeiro alvo. Como a rede de defesa da cidade estava bem estabelecida e Lin Biao era um “perfeccionista em relação à logística”, ele estava preocupado que, ao concentrar as forças comunistas em cercar os defensores nacionalistas em Changchun e Shenyang, essas manobras sustentariam as forças e influenciariam negativamente a campanha comunista geral no nordeste.

General Lin Biao
O general Lin Biao

Um bloqueio militar então foi realizado pelo Exército Popular de Libertação contra Changchun entre maio e outubro de 1948, a maior cidade da Manchuria na época e uma das sedes do Exército da República da China no nordeste do país.

O número de vítimas apenas civis do cerco varia por volta de 150 mil. O Exército de Libertação Popular supostamente impediu os civis de deixar a cidade para assim esgotar o suprimento de comida dos defensores, o que resultou em “dezenas de milhares de pessoas morrendo de fome”.

No fim, mais de 400 mil pessoas morreram e a cidade de Changchun foi capturada pelos comunistas.

9 – Wuhan, 1938 (entre 540 mil e 1,2 milhões de mortes)

Soldados em Wuhan
Batalha de Wuhan

Sim, mais uma vez eles. Agora a China volta em mais batalhas contra os seus rivais japoneses.

A Batalha de Wuhan, foi um conflito de larga escala da Segunda Guerra Sino-Japonesa e durou cerca de quatro meses e meio. Mais de um milhão de tropas chinesas foram colocadas para defender Wuhan do Exército Imperial Japonês.

As forças chinesas também foram apoiadas pelo Grupo Voluntário Soviético, um grupo de pilotos voluntários das Forças Aéreas do país.

Com Wuhan quase cercada, o lider chinês, Chiang Kaishek, que liderou pessoalmente a guarnição em Wuhan, mudou completamente de ideia. Em vez de travar uma nova grande batalha, ele decidiu se retirar para o oeste e para o sul, a fim de assim preservar suas forças.

Foto Chiang Kaishek
O líder chinês Chiang Kaishek

Eventualmente, a cidade caiu sob domínio japonês. A vitória do povo da terra do sol nascente custou 140 mil vítimas. Os chineses, apesar de terem sofrido 400 mil baixas, diminuíram significativamente o ritmo japonês de ataque.

Supostamente, o imperador japonês Hirohito, teria permitido o uso de armas químicas no ataque. Além disso, o número total de mortes no combate poderia ter chegado a 1,2 milhões de pessoas.

Foto do Imperador Hirohito
O Imperador Hirohito

8 – Invasão da Normandia, 1944 (entre 650 mil e 725 mil mortes)

Foto da invasão da Normandia
Invasão da Normandia

Uma das mais impressionantes batalhas de todos os tempos fica em oitavo lugar na nossa lista.

A batalha da Normandia foi a maior invasão marítima da história e ponto chave de virada no front Ocidental da Segunda Guerra Mundial.

Visando invadir a parte continental da Europa, os Aliados Ocidentais atacaram posições alemãs na Normandia, localizada na costa norte da França, em 6 de junho de 1944.

As forças terrestres aliadas vieram dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Canadá e forças francesas livres. Nas semanas seguintes à invasão, forças polonesas e da Bélgica, Tchecoslováquia, Grécia e Holanda participaram igualmente da campanha terrestre.

Soldados em batalhas na praia
Soldados chegando nas praias

A invasão seria apoiada por mais de 13 mil caças, bombardeiros e aviões de transporte, contra os quais a Luftwaffe (força aérea alemã) conseguiu destruir menos de 400.

Entre 1 de abril e 5 de junho de 1944, as forças aéreas estratégicas britânicas e americanas jogaram 195 mil toneladas de bombas em centros ferroviários e redes rodoviárias francesas, bem como em aeródromos alemães, instalações de radar, bases militares e baterias de artilharia costeira.

Apesar da forte defesa inimiga, a forças alemãs não aguentaram por muito tempo. Enfim os aliados conseguiram invadir as praias francesas, ganhando bastante territórios em pouco mais de um mês.

Por volta de 640 mil pessoas morreram na invasão que jogou os alemãs para o leste e que futuramente levaria ao fim da guerra.

7 – Changping, 260 a.C. (700 mil mortes)

Soldados na Batalha de Changping
Batalha de Changping

De longe, a mais antiga batalha dessa lista. Agora é a ultima vez que a China aparece.

A Batalha de Changping foi uma campanha militar durante o período dos Reinos Combatentes na China antiga. Foi uma batalha decisiva para o Estado de Qin sobre o estado de Zhao em 260 a.C.

As armas e armaduras dos soldados mudaram gradualmente durante a guerra, de armas de bronze para ferro. Os Qin, chegaram a produzir lanças de seis metros de comprimento.

Zhao Kuo comandou um exército de aproximadamente 400 mil homens para atacar o exército Qin, mas acabou atacando um campo de soldados inimigos.

O general Qin, Bai Qi, respondeu retirando os seus soldados, em direção à fortaleza Qin, atraindo Zhao Kuo atrás deles. Então, um corpo de 25 mil cavaleiros e 5 mil arqueiros permaneceu para trás para fazer uma armadilha e encurralar Zhao Kuo.

Com o inimigo preso, Bai Qi lançou um contra-ataque. O exército de Zhao foi então dividido em dois e suas linhas de suprimento foram cortadas.

Bai Qi ordenou que os soldados capturados fossem executados. O historiador chinês Sima Qian afirmou que mais de 450 mil soldados Zhao foram mortos durante e após a batalha, contra 250 mil Qins.

Por fim, a batalha marcaria a derrota definitiva de todos os outros reinos e o Estado Qin ganharia domínio militar e futuramente, usaria esse domínio para unificar a China.

6 – Kiev, 1941 (mais de 700 mil mortes)

Soldados em batalhas em Kiev
Batalha de Kiev

A Primeira Batalha de Kiev começou em 7 de agosto de 1941. Foi um dos maiores estágios da Operação Barbarossa, com ataques, resistência e contra-ataques falhando. Essa era a situação no Front Oriental dos Soviéticos.

Tudo aconteceu muito rápido e aumentou ainda mais. O exército alemão se moveu rapidamente em direção a Kiev e tentou capturar a cidade. A batalha seria lembrada como um dos maiores cercos na história das guerras.

As divisões de tanques blindados alemães podiam se mover com velocidade. As tropas eram bem treinadas e tinham o equipamento necessário. Portanto, eles avançaram centenas de quilômetros no território soviético para promover as ambições de seu líder.

Hitler queria privar os soviéticos de seus recursos e fábricas. O mundo estava prendendo a respiração para ver quem seria o então vencedor nessa batalha cruel entre duas superpotências.

A batalha foi uma derrota sem precedentes para o Exército Vermelho. O cerco na cidade resultou em mais de 700 mil vítimas. Os 5º, 37º, 26º, 21º e 38º exércitos soviéticos, constituídos por 43 divisões, foram quase aniquilados. Como o Front Ocidental antes dele, o Front Oriental teve que ser recriado quase do zero.

5 – Verdun, 1916 (entre 714 mil e 976 mil mortes)

Soldados em uma trincheira
Batalha de Verdun

Chegamos na Grande Guerra, a guerra que mudaria completamente o mundo.

A Batalha de Verdun foi travada de 21 de fevereiro a 18 de dezembro de 1916 no Front Ocidental. A batalha foi a mais longa da Primeira Guerra Mundial e ocorreu nas colinas ao norte de Verdun-sur-Meuse, no nordeste da França.

O 5º Exército alemão atacou as defesas da Região Fortificada de Verdun e as do Segundo Exército Francês na margem direita do rio Meuse. Os alemães esperavam que os franceses comprometessem sua reserva estratégica para recuperar a posição e sofrer perdas catastróficas, com pouco custo para os alemães.

As tropas alemãs obtiveram ganhos significativos no final do primeiro dia, penetrando as linhas de defesa francesas. No dia seguinte, os alemães aumentaram seus ganhos, repelindo um contra-ataque francês.

Quando a defesa francesa foi reorganizada, os alemães capturaram o indefeso Fort Douaumont, sem dúvida o mais formidável dos pontos fortes em torno de Verdun. Oito meses se passariam e muito sangue seria derramado antes que os franceses pudessem recuperar o local.

soldados em um rio na Primiera Guerra Mundial
Soldados franceses descansando em um rio antes de partir para Verdun

A batalha foi encerrada em 15 de dezembro, com as condições de inverno e os resultados dos combates no Somme impossibilitando outras atividades. Os franceses haviam perdido por volta de 400 mil homens e os alemães 350 mil.

O plano alemão de destruir o exército francês falhou. Pior ainda, do ponto de vista alemão, as pesadas perdas em Verdun combinadas com ainda mais baixas sofridas em Somme (irá aparecer mais para frente aqui na lista) criaram uma crise de mão-de-obra no exército que se tornaria cada vez mais difícil de resolver à medida que a guerra continuasse.

Inacreditavelmente, achei algumas cenas da batalha de 1916 no youtube. Confira ae

4 – Cerco de Leningrado, 1941-44 (entre 1,1 milhão e 5 milhões de mortes)

Preparações para o Cerco de Leningrado
Cerco de Leningrado

Chegamos na casa dos milhões. O poder de destruição que temos não tem limites.

O cerco de Leningrado foi um bloqueio militar prolongado, realizado pelo Grupo de Exército do Norte da Alemanha nazista contra a cidade soviética de Leningrado (agora São Petersburgo). O exército finlandês invadiu o norte, cooperando com os alemães até a Finlândia recuperar o território perdido na recente Guerra de Inverno, mas se recusou a fazer novas abordagens à cidade.

O cerco começou em 8 de setembro de 1941, quando a Wehrmacht cortou a última estrada para a cidade.

Assim sendo, o frio se tornou o maior inimigo dos soviéticos. Os suprimentos de carvão estavam esgotados e isso significava que a cidade não tinha aquecimento central e os canos de água congelavam e quebravam, não permitindo água aos moradores.

A população de cães, gatos, cavalos, ratos e corvos desapareceu quando eles se tornaram o prato principal em muitas mesas de jantar (até mesmo relatos de canibalismo começaram a aparecer). Com a terra congelada, cadáveres se acumularam nas ruas, parques e outras áreas abertas.

batalhas em Leningrado
Soldados se preparando para defender a cidade

Embora as forças soviéticas tenham conseguido abrir um estreito corredor terrestre para a cidade em 18 de janeiro de 1943, o Exército Vermelho não suspendeu o cerco até 27 de janeiro de 1944, 872 dias após o início, quando conseguiu afastar os alemães dos arredores da cidade.

O bloqueio, depois de muitas batalhas, tornou-se um dos mais longos e destrutivos cercos da história, e possivelmente o mais caro em baixas sofridas. Alguns historiadores o classificam como genocídio.

Ao total, em 4 anos, mais de 5 milhões teriam morrido, com 1 milhão deles sendo apenas civis que moravam na cidade.

3 – Primeira Batalha de Somme, 1916 (1,12 milhões de mortes)

batalhas em Somme
Batalha de Somme

Chegamos na reta final, com o terceiro lugar do nosso pódio. A batalha de Somme foi a mais mortal da Primeira Guerra Mundial.

Conhecida também como Ofensiva de Somme, foi uma batalha da Primeira Guerra Mundial travada pelos exércitos do Império Britânico e da Terceira República Francesa contra o Império Alemão. Ocorreu entre 1 de julho e 18 de novembro de 1916 em ambos os lados da parte superior do rio Somme, na França.

No dia de abertura do ataque, em 1 de julho de 1916, o Exército Britânico sofreu 57 mil baixas, o dia mais sangrento de sua história.

No final da batalha, as forças britânicas e francesas haviam penetrado 10 km no território ocupado pela Alemanha. Esse foi o maior ganho territorial desde a Batalha de Marne em 1914. No entanto, os principais objetivos dos exércitos anglo-franceses não foram cumpridos, pois não conseguiram capturar Péronne e pararam a 5 km de Bapaume, onde os exércitos alemães mantinham o controle de suas posições durante o inverno.

Além disso, mais de três milhões de homens lutaram na batalha e mais de um milhão foram feridos ou mortos.

2 – Berlim, 1945 (1,2 milhões de mortes)

Tanque na batalha de Berlim
Batalha (no que restou) de Berlim

Os maiores confrontos de todos os tempo, foram sem sombra de dúvidas entre os soviéticos e nazistas. Tanto que ficaram com o segundo lugar.

A Batalha de Berlim, designada como Operação Ofensiva Estratégica de Berlim pela União Soviética, e também conhecida como a Queda de Berlim, foi uma das últimas grandes ofensivas do teatro europeu da Segunda Guerra Mundial.

Em 16 de abril de 1945, Stalin lançou um ataque brutal contra a Alemanha, 2 milhões de soldados, 6300 tanques e 8500 aeronaves tinham como objetivo esmagar a resistência alemã e capturar a cidade de Berlim.

As esgotadas forças alemãs colocaram uma defesa rígida na cidade, inicialmente repelindo os atacantes, mas sucumbiram à força esmagadora do exército vermelho soviético.

Fim das batalhas em Berlim
Foto clássica da Queda de Berlim

Em 2 de maio de 1945, após uma das batalhas mais intensas da história da humanidade, as armas finalmente pararam de disparar entre as ruínas da cidade. Segundo os veteranos soviéticos, o silêncio que se seguiu aos combates foi literalmente ensurdecedor. Menos de quatro anos após seu ataque à União Soviética, o auto-proclamado Reich de mil anos de Hitler deixou de existir. O próprio Führer alemão estava morto.

Apenas alguns dias depois, em 7 de maio de 1945, os líderes remanescentes da Alemanha nazista assinaram uma rendição incondicional aos Aliados e a guerra na Europa teve seu fim.

1 – Stalingrado, 1942-43 (entre 1,7 milhões e 2,5 milhões de mortes)

Soldados em batalhas em stalingrado
Batalha de Stalingrado

No fim, a pior de todas as batalhas de todos os tempos. Uma verdadeira imensidão de mortes.

Stalingrado era uma grande cidade industrial que produzia diversos armamentos e sua captura cortaria as ligações de transporte, e além disso, a cidade que levava o nome do líder soviético Joseph Stalin serviria como uma grande vitória pessoal e de propaganda para Adolf Hitler.

A batalha começou em agosto de 1942 com uma série de ataques aéreos nazistas que deixaram o local em ruínas. Stalin recusou a evacuação de quaisquer civis, afirmando que o exército lutaria com mais afinco sabendo que eles estavam defendendo os moradores da cidade.

Todas as ruas, blocos e edifícios eram disputados por tropas e muitas vezes mudavam de mãos várias vezes. Depois de meses, os alemães estavam sofrendo com as baixas, fadigas e com o rigoroso inverno que estava se instalando.

Lutas em Stalingrado
Cada metro disputado em Stalingrado era importante


O ponto de virada da batalha veio com uma enorme contra-ofensiva soviética, chama de Operação Urano que lançou 250 mil soldados contra o que restava dos congelados e famintos alemães na cidade.

Após a derrota, o Alto Comando Alemão teve que retirar vastas forças militares do Front Ocidental para substituir suas perdas. No fim, a batalha de Stalingrado se tornou a mais sangrenta (1,7 a 2,5 milhões de mortos) na história de todas as guerras.

Se uma imagem vale por mil palavras, então um vídeo…

Queremos a sua Opinião!

Diga ae nos comentários, que outro tema ou lista você gostaria de ver por aqui no site. Vamos adorar saber sobre o que você quer.

Aproveitando esses temas de guerra, saiba mais sobre Josef Mengele, o anjo da morte nazista e o Gás Mostarda, o terror da Primeira Guerra Mundial

Fontes:

Imperial War Museum

Wikipédia

The Asian

National Interest

We Love Budapest

World War II Database

Atomic Heritage Foundation

Britannica

Illustrated Curiosity

War History Online

History

National Army Museum

BBC

Sobre Matheus Henrique

Técnico em consertos e manutenção de máquinas do tempo, caçador de criaturas mitológicas, cover de Sherlock Holmes e falador de bobagens nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X